sábado, 27 de agosto de 2011

A Espalhafatosa Historenha de Peterson Aguivailton - Parte 5

Essa é a parte final, onde coisas vão acontecer, e um desfecho dramático (que por acaso o redator escreveu muito bem) vai ser colocado.

Primeiramente, se você não leu as outras partes:

Chegando lá, você nem imagina quem atendeu a porta.

O dono da casa. 
Peterson não chegou ás 19:31. Chegou muito atrasado, ás 19:32
O dono da casa não estava com cara de muitos amigos, e o imbecil teve os dom de perguntar:

-Que você tem?
-Você se atrasar. Minha filha fugir.
-Cê é estrangero? *o*
-Você buscar minha filha. Ou eu te estrangular à marteladas.
-Hm... Okay! Pra que lado ela foi?
-Pra lá ó >


Peterson andou. Andou. Andou mais. Parou pra amarrar os sapatos. Andou mais ainda. E por fim... andou mais um pouco.
Peterson anda tanto que vê a torre Eifel... E A CAROLAINE LÁ EM CIMA :O


-PETERSON, PETERSON EU VO PULAR, VC NUNCA SOUBE, MAS... EU SOU EMO... E EU TE AMO, VC NÃO VEIO, VOU ME MATAR !!
-Carolaaaine, nãããão! Eu me culpo por me atrasar pro jantar! Eu tenho que pular e não você! - E Peterson sobe na torre e abre os braços pra pular

-Peraí, Peterson, não é assim não, ó, vo te mostra, cê abre os braço assim ó, aí depois você vai, grita igual doido, fica estérico, depois sobe aqui e...

......

(Monólogo)
Carolaine. Carolaine meu amor, nunca te esquecerei. Para mim, você será sempre a minha deusa baixinha e magricela que eu amarei eternamente. Carolaine, ó, Carolaine, como eu amo o jeito com que seus lábios com manteiga-de-cacau vencida emansebavam os seus dois dentes da boca, realçando ainda mais o seu olhar do olho roxo com bolinhas amarelas...
Carolaine, ó, Carolaine, se eu pudesse morreria junto contigo, mas o medo de altura me impede... Carolaine, ó, Carolaine, que nosso amor seja eterno, pra nenhuma outra jamais olharei... Carolaine, ó, Carolaine....

Nisso, passa uma francesa baixinha, magricela e com um olho amarelo com bolinhas roxas...

-HEY, SEU PAI É BORRACHEIRO? *o*