terça-feira, 6 de dezembro de 2011

As peripécias de um retardado no centro da cidade

 Bibliotecas são lugares onde se armazena livros velhos e filmes pré-históricos ou o contrário para empréstimo à pessoas aparentemente normais. Até aí você, guru da montanha, já sabe. Só não sabe que na minha cidade, ir à biblioteca, além de ser um hábito raro e somente aplicado à trabalhos escolares e a literalistas compulsivos, é um suplício se você mora no Jardim Popular.



Eu queria ler um livro. Aí pensei: "Que tal a biblioteca? Tem um monte de livros lá." Maldito seja o Capitão Óbvio.

O dia em questão era o do 2º Festival de Música da escola, organizada pela TVOB. Eu faço parte da TVOB, por isso tinha que estar lá. Já era fim de ano, eu não precisava estar lá. Eu sabia escrever, podia deixar escrito e Wilson que se ferrasse. Decidi ir pra biblioteca, antes dando uma passada na escola pra entregar o dito cujo papel... escrito.

Feito isso, vou eu, o intrépido e destemido Jerry Lewis de biquíni -n, à interminável empreitada de esperar o maldito ônibus chegar.

Demorou pra cacete. Entro no ônibus, mas ao contrário do que me disseram e do que eu esperava que fosse, o preço da passagem não era R$2,10 e sim R$2,35. Quase que imitando o episódio de Trollando o Bruno II, o motorista que parecia ser do Sindicato das Atendentes de Padaria, falou alto quase gritando, quando eu ia passar na catraca: "Falta 20 centavos!!".
Pois é, eu ia corrigir que faltava 25 mas achei melhor não, em vez disso fiz uma pergunta besta e totalmente com cara de "O quê? Mas é isso mesmo?!?1", dizendo "O quê? Mas é isso mesmo?!?1".

Felizmente o motorista limdo do meu éssetrês me deixou passar, ou catracar, no caso. Depois da viagem terminar, eu descer do ônibus e descobri que a poha da biblioteca estava fechada, sentei, e desconsoladamente apoiei meus cotovelos no joelho e levei as mãos à cabeça. Mentira, eu não fiz tudo isso, mas deu vontade.

Nunca fui no centro sozinho, e andar por lá é uma aventura quando se está sozinho, se você se chamar Bruno Silva, tiver 13 anos e achar que andar por lá é uma aventura quando se está sozinho. Aventura maior, digna de Harrison Ford em Indiana Jones, é voltar do Centro pra casa à pé - cerca de 4 quilômetros.

Quando cheguei em casa pensei ter perdido 3 quilos de tão cansado que eu estava.

Hoje fui no Centro de novo, descobri que a biblioteca tinha mudado de endereço.
Além disso, não tinha 'O Guia do Mochileiro das Galáxias', livro que eu ia pegar. Me conformei com Harry Potter.

Até a vista, e não entrem em pânico. -N

Siga: @brunno_98