sábado, 28 de abril de 2012

A Sociedade Depois de Cristo

 O assunto do qual eu vou falar agora é muito polêmico. Talvez o mais polêmico que existe. Há tantas divergências de opiniões, pontos de vista e conversas pra boi dormir em volta dele, que com certeza alguém vai me criticar.


 Seguinte, hoje eu estava vendo Raul Gil. Têm uma menininha de uns 5 anos de idade lá que canta (ou faz o possível) gospel e é evangélica. Estava acontecendo uma entrevista com o Léo Santana, do Parangolé, naquele quadro em que as crianças entrevistam os famosos com perguntas escritas pela produção.

 Até que surgiu o assunto da dança. A menina disse que ela não gostava da dança, que Jesus não gosta da dança por isso ela também não gostava, que dançar não é de Jesus e que Jesus só gosta que sirvam a ele. Desse mesmo jeitinho.

 Eu fico indignado e até impressionado com o que conseguem implantar na cabeça das crianças hoje em dia. Não só nas crianças, mas na sociedade em geral. É uma lavagem cerebral sem sentido nem escrúpulos.

 Se a criança não dança ou não faz o que quer que seja, é por que OS PAIS não querem, e não por que Jesus disse que não pode. Jesus no momento está tão ocupado fazendo tantas coisas interessantes e por tanto tempo que acho que nem sabe se a menina dançou ou deixou de dançar, cantou ou deixou de cantar, morreu ou deixou de morrer.

 As pessoas realmente acreditam que devem mostrar que amam e são devotos de Deus, mesmo sem nunca ao menos ter lido a Bíblia ou conhecê-la de alguma forma, pelo simples fato de não serem excluídos da sociedade. Um exemplo disso são aquelas imagens do tipo "Eu amo Deus, se você também ama, compartilhe", ou "Obrigada, Jesus, por mais um dia" num status. Em toda essa minha curta vida tenho mentalidade o suficiente pra ter certeza de que Jesus não tem Facebook, e se tivesse, garanto que não perderia tempo lendo status de pessoas dos quais provavelmente sabe que o sentimento não é verdadeiro. Esse tipo de pensamento cega as pessoas do real sentido das coisas em que tentam acreditar.

 A Igreja é outra coisa que só existe para manipular essas pessoas, criando e se fazendo agir de acordo com um sistema - o que também não explicita nenhum tipo de pensamento racional. Exemplo: a Bíblia diz "Crescei-vos e multiplicai-vos", portanto, os padres pecam nessa parte. E é exatamente por isso que existem tantos aliciando criancinhas por debaixo da batina.

 Por isso tudo as pessoas se sentem obrigadas a ir à igreja, a fazer tudo o que ela manda e a criticar quem não faz o mesmo. Mesmo não tendo a menor ideia do por quê, mesmo não conhecendo outra forma de pensar, mesmo nunca tendo lido a Bíblia. 

 Se uma pessoa diz que é ateia já é vista de outra forma, muitas vezes criticada pelas costas. Defendo que cada um tem um ideal em que acredita, seja pantera, hippie, beatnik, católico, budista ou protestante. 

 Aí virá sempre aquele cabrito andarilho dos trilhos de trem dizendo "Ah, então você é ateu? Eu não sabia". Eu não sou ateu. Na verdade nasci num berço evangélico, do tipo bem evangélico, sabe como é? Que faz tudo isso que eu acabei de citar. Eu sigo a Igreja, mas não sou escravo dela.

 O fato de ser evangélico não me impede de ter minha própria ideologia. Tenho convicção de que posso e devo ampliar minhas ideias sobre a vida, seja acreditando na Ciência, seja lendo a Bíblia, lendo livros espíritas, budistas, e até mesmo o alcorão. O universo é muito grande para se levar em conta em uma hipótese só.

 Não quero que você pense sobre isso, só queria deixar clara minha opinião e posição sobre as religiões e suas firulas. Fui.